Pioneirismo

A época era da Segunda Guerra Mundial e alguns pilotos civis, praticantes de vôos no Aeroclube do Espírito Santo, voavam pelo litoral do Espírito Santo e do Rio de Janeiro, patrulhando a costa brasileira, tentando avistar se alguma embarcação inimiga se aproximava. Esta história de pioneirismo é contada por Álvaro José Silva no livro A patrulha da madrugada. Ele partiu das histórias que ouvia do pai, um dos pilotos que faziam este trajeto e que foi um dos pioneiros da aviação no Espírito Santo e responsável por oferecer viagens comerciais em vôos de carreira no aeroporto de Vitória.

O jornalista Álvaro José Silva é o tipo de pesquisador que levanta detalhes e os detalhas, mostrando como eram as coisas em um tempo que o vôo comercial e mesmo o vôo de entretenimento era uma aventura. E foi nesta aventura que o pai do profissional, Nélson – conhecido como Nélson Calado, devido ao tanto que falava – embarcou, transmitindo sua paixão por aviões e por vôos ao filho que, mais tarde, contou a história dele e dos vários outros pilotos que participaram a patrulha da madrugada. Mas não fez só isso e foi além. A história toda está no livro, que foi editado pela RS Comunicação, empresa que antecedeu a Comum Editora.